Ministério Público recorre ao STF para tirar foro de Flávio Bolsonaro - Mg Noticias.net

Mg Noticias.net

Aqui você fica bem informado!

Post Top Ad

Ministério Público recorre ao STF para tirar foro de Flávio Bolsonaro

Ministério Público recorre ao STF para tirar foro de Flávio Bolsonaro

Share This
Ministério Público recorre ao STF para tirar foro de Flávio Bolsonaro
O Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro (MPE-RJ) recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira, 29, para tentar reverter decisão que deu ao senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) foro privilegiado para o julgamento de casos ligados ao suposto esquema de “rachadinhas” em seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa. A informação é do site de notícias Poder 360.

O filho mais velho do presidente ganhou o direito de ser julgado por um órgão especial do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) na semana passada. Até então, o juiz que decidia sobre questões a respeito das investigações era Flávio Itabaiana Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Rio (primeira instância da Justiça).

A promotoria alega que a decisão que favoreceu Flávio Bolsonaro contraria entendimento do próprio Supremo a respeito do foro especial por prerrogativa de função. Em julgamento realizado em 2018, o plenário da Corte decidiu que autoridades só têm foro privilegiado se os supostos crimes investigados ocorreram durante o exercício do mandato e em função dele.

“A decisão da 3ª Colenda Câmara Criminal promoveu uma ‘inovação’ indevida em nosso ordenamento, pelo que não merece prosperar”, argumentou o MP-RJ, para o qual a decisão também “conferiu vantagem de cunho pessoal” a Flávio Bolsonaro.

O filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro já havia acionado o Supremo, em fevereiro do ano passado, alegando que o caso não deveria seguir na primeira instância da Justiça. O ministro Marco Aurélio decidiu, monocraticamente, rejeitar a reclamação e manter o processo na 27ª Vara Criminal do Rio.

Foi do juiz de primeira Instância decisões como a ordem de prisão preventiva do ex-assessor Fabrício Queiroz e também a quebra do sigilo bancário de Flávio Bolsonaro e de sua mulher, Fernanda Antunes Bolsonaro. O casal é suspeito de ter recebido dinheiro tomado de funcionários empregados no gabinete de Flávio – então deputado estadual – de 2007 a 2018. O esquema seria operado por Fabrício Queiroz.

O senador nega que tenha cometido qualquer irregularidade e se diz vítima de perseguição de adversários políticos.

Atarde

Nenhum comentário:

Post Bottom Ad